Skip to content

Islândia – a capital Reykjavík

18 janeiro 2010

 

Vista da cidade com o Monte Esja ao fundo

Reykjavík (tradução: baía esfumaçada) é uma cidade com uma localização privilegiada, entre o mar e montanhas nevadas. Com população de cerca de 170.000, possui 60% dos habitantes do país. O trânsito, bastante movimentado para uma cidade tão pequena, demonstra que todos tem pelo menos um automóvel, fato corroborado pela ausência de passageiros nos ônibus da cidade.

A cidade é compacta e os principais pontos turísticos podem ser alcançados com um belo passeio pelas ruas, desde que as condições de tempo permitam. Neste caso, rume para Saebraut, o “calçadão” da cidade, de frente para a baía e o monte Esja. Lá você pode dar de cara com esta bela escultura do Jon Gunnar Arnason :

Sólfar - Jon Gunnar Arnason

Ou então com esta paisagem do porto :

Reykajvik Harbour

Entre  pela Laekjargata até Tjörnin, o simpático lago onde o povo se diverte alimentando as aves.

Tjörnin, com a Prefeitura ao fundo

O transporte público funciona como um relógio, embora o intervalo entre os ônibus seja de meia hora. Provavelmente você só vai precisar andar neles se quiser visitar alguma das piscinas térmicas. Recomendo a maior e mais bem equipada de todas: Laugardalslaug. Se eu fosse você, torcia para que estivesse nevando na hora de sua visita: estar imerso em uma piscina de águas a 45o C, com flocos de neve caindo sobre seu rosto, é uma sensação indescritível!

A rua mais famosa da cidade é a Laugavegur, onde ficam as principais lojas e a maioria dos cafés.

Laugavegur

A esquisita Hallgrímskirkja fica na parte alta da cidade e do topo da igreja se tem uma vista completa dos arredores. Infelizmente a expressão “obra de igreja” também vale para países desenvolvidos, pois o atraso na conclusão da reforma já chega a 6 meses!

Hallgrimskirkja em obras

Ao invés da vista através de andaimes, preferi tomar um ônibus e ir até Öskjuhlíð ao final da tarde para observar a cidade. Esta colina abriga uma construção sobre 6 tanques de água e, além de lojas, abriga o museu Saga, o restaurante Perlan e um deque de observação gratuito.

Esculturas em Öskjuhlíð

Os museus de Reykjavík dão a perfeita introdução sobre a história e os costumes do povo. A ordem natural seria começar pelo National Museum of Iceland, que tem uma exposição permanente, com cerca de 2000 objetos expostos, contando a fascinante história da formação da identidade do país.                                                                            

A Culture House possui várias coleções de objetos e mídia sobre a cultura nacional, incluindo os manuscritos medievais que contém as famosas sagas islandesas (temporariamente retirados de exposição em 23/9/2009).

National Museum

Outro local interessante é o Reykjavík 871 +/-2, exibição montada pelo Reykjavík City Museum, no local onde foram achados restos de moradia dos primeiros habitantes da ilha, através de escavações feitas em 2001. A vida naquela época não deve ter sido fácil…

Mais museus?  Tente o Reykjavík Art Museum, que se divide em 3 edifícios espalhados pela cidade. Só visitei o Hafnarhús, em Tryggvagata, que é a sede do Instituto de Arte Contemporânea. Na época havia uma exposição interessante, com quadros baseados em cenas de filmes famosos de diretores nórdicos, como Lars von Trier.
Se quiser acessar a Internet, continue na mesma calçada e entre na Grófarhús (ou Biblioteca, para os íntimos). Se estiver com notebook ou smartphone, saiba que a maioria dos cafés e restaurantes possui wi-fi.
                                                                                                       
O Museu dedicado ao escultor local Einar Jonsson  fica bem ao lado da Hallgrímskirkja, com entrada paga. Como cheguei ao final do dia, preferi visitar apenas o jardim do museu, com entrada pela Freyjugata, que possui várias de suas esculturas e é grátis.                              
                                                                                                                                        

Jardim do Einar Jonsson Museum

Existem vários outros passeios próximos interessantes, entre eles a viagem até a ilha de Viðey,um paraíso a apenas 10 minutos de travessia da cidade. Veja algumas opções aqui.

Nos próximos capítulos, sugestões de passeios e comidas.

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. 19 janeiro 2010 5:15 pm

    JB, essa foto do porto está um espetáculo! 😀

    Eu não sei absolutamente nada mesmo sobre a Islândia – estou sendo agradavelmente surpreendida a cada post…

  2. 28 janeiro 2010 9:46 pm

    Carla,

    Nenhuma habilidade do fotógrafo… Todo o crédito vai para a paisagem, mesmo!

  3. José Lago permalink
    15 fevereiro 2012 8:52 am

    Meu Pai é Piloto de avião aposentado e tivemos a oportunidade de conhecer Reykjavik no campeonato de xadrez de todas as companhias aeronáutica, é uma cidade linda e maravilhosa, deu para ter uma idéia da Etinía do povo, não esuqeço o,lago congelado no centro da cidade, é maravilhoso!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: