Skip to content

Buenos Aires para adolescentes – Introdução

28 fevereiro 2010

 

Bia (esquerda) e sua amiga Thais

Viajar com minha filha de 13 anos nas suas férias tem sido complicado. Para começar, ela não morre de amores por aviões. Nutre uma indiferença atroz pelas praias, apesar de (ou talvez por) morar em uma cidade praiana. Além do mais, acho que todos os seres humanos naquela idade tem uma série de idiossincrasias difíceis de gerenciar.

Isto posto, e considerando os lugares aos quais já viajamos no passado, minhas opções de sugestões ficaram um pouco limitadas, senão vejamos: o voo teria que ser curto, de preferência para o exterior, com algumas atividades capazes de fazê-la dispensar o(s) seriado(s) americano(s) preferido(s).

– Buenos Aires, pensei imediatamente!!

– Ela já conhece, foi a conclusão do pensamento.

Para meu espanto ela concordou, não sem antes propor que levássemos uma amiga de mesma idade. Afinal de contas, pré-adolescente viajar sozinha com o pai é o maior King Kong, né?

Foi minha vez de matutar e pesar os prós e contras de aceitar tal proposta. A amiguinha não era um modelo de comportamento, sendo mais agitada do que torcedor em final de campeonato. Por outro lado, corria o risco de ter a férias comprometidas se recusasse o singelo pedido.

Resolvi aceder. Achei que o problema era contornável: apenas uma questão de mantê-las diariamente ocupadas, de modo que não houvesse tempo para faniquitos.

Passo seguinte foi comprar as passagens em um voo direto GOL, saindo do Rio, por pouco mais de 600 reais cada e com direito a mihas.

Depois foi só escolher um apartamento adequado para aluguel no site da ByTargentina. O cuidado na escolha era providencial: era fundamental uma piscina e que ele estivesse próximo a um shopping, para curar eventuais períodos de tédio.

Escolhi um quarto e sala básico, mas muito bem localizado, na Sanchez de Bustamante, fronteira da Recoleta e Palermo, bem próximo ao metrô e ao shopping Alto Palermo. Com piscina na cobertura, claro! A brincadeira toda saiu por 445 dólares por 7 dias ( incluindo a taxa de administração de 45 dólares cobrada pela ByT). Veja as fotos aqui.

Finalmente, era só conseguir atividades suficientes para 7 dias, dosando igualmente diversão e compras. Claro que as meninas foram consultadas e eventuais tiros n’água devidamente descartados.

Posso dizer que o empreendimento foi um sucesso e gostaria de dividir com voces as agruras e felicidades de manter 2 adolescentes satisfeitas na capital portenha. Vamos lá?

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. 2 março 2010 4:59 pm

    Adorei a introdução! Não tinha como essa aventura dar errado, com um planejamento tão cuidadoso! 😉

  2. 16 março 2010 10:53 pm

    Tem Buenos Aires pra todo mundo, não? A Carla escreveu a série para crianças e você para adolescentes! Juntando isso tudo com as dicas da Sylvia e dos demais Vibanas não tem como uma viagem à Bs.As. dar errada!
    Abs,

  3. Ligia permalink
    29 agosto 2010 10:03 pm

    Olá! Já perturbei um bocado a Carla e vim aqui dizer q fiz um “mix” nas dicas dos 2 blogs, já q a minha filha tem 10 anos, nem é tão criancinha e nem teen! Obrigada, adorei a inciativa de dividir as experiências! Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: