Skip to content

Bálcãs – Croácia – Zagreb

6 agosto 2011

Igreja de São Marcos

Zagreb é  uma cidade de 700 mil habitantes, capital da Croácia. Também é uma cidade compacta, apesar de bem maior que Ljubliana, e a maioria de suas atrações pode ser visitada em um passeio agradável.

A moeda croata se chama Kuna e, na época da viagem, o câmbio estava 1 KN = 0,2 US$.

Chegada: A viagem de trem desde Ljubliana durou pouco mais de 2 horas e foi feita acompanhando o Rio Sava praticamente o tempo inteiro. A Glavni Kolodvor (estação de trens) é bem central e de lá tomei um tram até o hotel.

Adoro cidades com tram, acho o máximo da civilidade. E aqui tem mais uma novidade: o transporte pelo centro da cidade é gratuito! Isso mesmo, não gastei quase nada de transporte por aqui, já que fiquei hospedado no limite oeste da zona de gratuidade. Não acredita? Veja aqui

Estação de trens

Trg Bana Jelačića

Detalhe da Igreja de São Marcos

Onde ficar:  Só tenho elogios ao Camera Felice e recomendo fortemente a quem for a Zagreb. É uma pousada que tem apenas 2 quartos (fiquei no quarto verde!) e tinha ótima avaliação no Tripadvisor.

O quarto era enorme, muito bem decorado, com TV LCD de 32 pol, ar condicionado e móveis modernos. O banheiro era  charmoso e tinha box blindex. Os donos – um casal de jovens- eram muito simpáticos, deram ótimas dicas de passeios e até me ensinaram algumas palavras em croata. Hvala.

O único senão do local é que não inclui o café da manhã, mas isto não é um grande problema.

Passeios :     Caso esteja em um hotel central, tome o seu transporte gratuito até a praça Bana Jelačića, ponto central da cidade. De lá suba em direção a Gradec, a parte alta, onde se encontram alguns dos principais destaques de Zagreb.

Existe um funicular que leva até lá a partir da Ilica Street– na verdade, é um dos menores do mundo, com apenas 66 metros de extensão. O ingresso custa 4 kuna, mas, como não se trata de uma parte tão alta assim, é perfeitamente dispensável, já que podemos chegar lá a pé sem dificuldades.

Um dos destaques é a Igreja de São Marcos, cartão postal da cidade com seu telhado todo em mosaico. Desça de volta ao centro passando pelo Mercado central Dolac, logo atrás da praça central. Aproveite e coma um burek, tipo de pastel folheado, com várias opções de recheio, onipresente nos países do Bálcãs e que custa menos de 1 euro.

Andando um pouco mais para o leste, você vai estar em Kaptol, sede do catolicismo em Zagreb. Visite a Catedral, em estilo gótico, que, naquela época, se encontrava em reforma. Em frente fica a bela Coluna da Virgem Maria, erguida no final do século XIX.

Trg Bana Jelačića – coração da cidade

Praça dos Jesuítas – Gradec

Mercado Dolac

Catedral, em obras

Coluna da Virgem Maria

Praça Marka Marulića

Outra área interessante para um passeio fica mais próxima da estação de trem, onde estão os principais museus da cidade, além dos grandes parques e praças arborizadas, como a Praça Marka Marulića, mostrada acima.

Visitei apenas o Minara Museum (aberto de terça a  sexta das 10h às 19h – 17h no inverno, sábado e domingo das 10h às 14h, ingresso a 20Kn).

O Museu foi aberto em 1987, apesar do prédio datar do início do século XIX. Lá se encontram obras de Renoir, Degas, Velázquez, Rubens, Caravaggio, entre outros, além de objetos arqueológicos da pré-história.

Uma curiosidade: você sabia que a gravata é um produto originado na Croácia? Pois é, ela era parte integrante do vestuário do exército croata e foi difundida na Europa, e adotada inicialmente pelos franceses, no século XVII.

Museum of Arts and Crafts

Museu Mimara

Comida : Um dos restaurantes recomendados era o Boban, do famoso ex-jogador de futebol da seleção iugoslava. Um restaurante italiano considerado um dos melhores da cidade. O spaghetti carbonara estava uma delícia e os preços eram bastante em conta.

Restaurante Boban

Zagreb é o paraíso dos cafés. Nas ruas centrais, fechadas ao tráfego, há um acúmulo impressionante de coffee shops com mesas nas calcadas, o que faz da cidade a maior cafeteria a céu aberto da Europa. Pena que o número de fumantes ao ar livre é tamanho, que faz com que você prefira ficar do lado de dentro. Que paradoxo…

Os doces também são imperdíveis. Sugiro uma passada na Millennium na rua Bogoviceva para comer doces bem elaborados como da foto abaixo, ou então os seus sorvetes artesanais.

Claro que estas dicas são aproveitáveis somente se você não visitar a cidade no inverno rigoroso.

Hum….

Cafés na Tkalciceva

Restaurante Agava

No último dia descobri a Tkalciceva, mais uma rua de pedestres lotada de restaurantes e bares, a fronteira entre os bairros que compõem a Old Town: Gradec e Kaptol. Poltronas de vime e ombrellones imperavam no local, criando um ambiente bastante acolhedor.

Escolhi para o jantar o Agava, um restaurante no alto de uma escadaria, que, além da boa comida, (provei um risoto de camarão com aspargos excelente, acompanhado de um vinho branco local que não fez feio) ainda possuía uma vista privilegiada do movimento da rua.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: