Skip to content

Budapest – Dicas

30 setembro 2011

1) Quando ir : A melhor época para aproveitar Budapest é no outono ou na primavera, quando as temperaturas ficam mais amenas. O verão tem calor e o auge da turistada, portanto evite esta época se não quiser enfrentar filas.

Devo dizer que o inverno foi uma ótima escolha para visitar a cidade, para quem não se incomoda com o frio, claro. Os preços de hospedagem despencam e as atrações turísticas ficam bem mais “privadas”, digamos assim. Lembrando que as temperaturas abaixo de zero são uma constante no inverno húngaro, assim como a neve…

Mas a cidade fica linda toda de branco, não acham?

Detalhe do Monumento do Milênio - City Park

2) Transporte público – um dos pontos altos de Budapest, a oferta é enorme : trens urbanos (HEV), metrô, bondes, barcos, funiculares, ônibus, tudo funciona à perfeição.

Um dos destaques é a linha 1 (amarela) do metrô, a segunda mais antiga do mundo, datando de 1896 e só perdendo para a Metropolitan Line do metrô londrino (inaugurada em 1863!!!).

Esta linha (declarada Patrimônio da UNESCO em 2002) sai de Vörösmarty tér e segue por toda a extensão da sofisticada Andrassý Út, percorrendo vários pontos turísticos, como a  Basílica de St. István, a Opera, Hösök Tere (Praça dos Heróis) e o Parque da Cidade, onde se encontram o Museu de Artes Plásticas e o Zoológico. Outra característica desta linha é que ela é super acessível – basta descer um lance de escadas e você já estará na plataforma de embarque.

Voltando aos transportes, você deve sempre validar o seu bilhete nas máquinas, sob pena de levar uma muta de 6000 HUF se for pego sem um ticket válido.

Dependendo do número de dias, pode ser vantajoso comprar um passe, mas na maioria das vezes, o melhor custo/benefício é o pacote de 10 tickets por 2800 HUF.

Vagão do metrô - linha amarela

HEV - trem urbano

3) Budapest Card :   ele andou sumido, mas parece que voltou este ano, segundo o site de turismo em Budapest; o esquema é o mesmo de outros cartões de cidades – transporte ilimitado, entrada grátis em alguns museus e descontos em tours e outras atrações; custa 5500 HUF (um dia), 6900 HUF (2 dias) e 8300 HUF (3 dias); levando-se em conta que Budapest é uma cidade compacta, acho que só vale mesmo a pena se há planos de conhecer vários lugares por dia.

4) Compras : um dos itens mais interessantes para se trazer da Hungria é uma garrafa do fabuloso Tokaji (diga “tocai”), um dos mais famosos vinhos de sobremesa do mundo e bastante apreciado, não só pelos enólogos; Este vinho,  inclusive, é mencionado na letra do hino nacional húngaro!

Não se deixe encantar pelas variações secas deste vinho. Vá direto às garrafas que ostentam o nome Aszú em seu rótulo ; esses vinhos, de uma cor dourada,  são resultado da colheita de uvas atacadas pelo fungo Botrytis cinerea que, bem administrado, pode gerar a conhecida “podridão nobre”, que dá luz a vinhos com características especiais de sabor e doçura (entre eles, o Sauternes francês e o Amarone italiano).

Outra coisa a ser observada é a quantidade de Aszú adicionada ao vinho, aqui medida em número de puttonyos. Quanto maior a quantidade, mais doce (e mais caro) fica o resultado final. O vinho feito inteiramente de uvas Aszú é chamado de Tokaj Eszencia.

O melhor lugar para adquirir um Tokaji é o Mercado Central.

5) Outros passeios : um dos itens recomendados, mas que não pude fazer devido ao tempo gelado, é um passeio de barco pelo Danúbio; há opções diurnas e noturnas (mais românticas), inclusive com jantar e música ao vivo. Duram, normalmente, entre uma e 2 horas e percorrem os principais pontos turísticos de Budapest, incluindo a Margaret Island (Margit sziget), outra atração que não pude conhecer.

Maiores detalhes, incluindo preços, vejam aqui.

Danúbio

6)  Bate e volta :    a pitoresca cidadezinha de Szentendre (mais conhecida como Santo André :-)) é uma boa pedida para um passeio de um dia. A viagem de trem urbano (HEV) parte da estação de Batthyany tér, em Buda, na frente do Parlamento. O bilhete custa 1500 HUF e a viagem dura cerca de 40 minutos.

No verão, o acesso à cidade também pode ser feito de barco, saindo de mesma Batthyany tér.

A cidade é um dos mais antigos enclaves no Danúbio e servia como fortificação. Hoje em dia, é sede de várias galerias de arte, um curioso Museu da Cerâmica e inúmeras igrejas.

Anúncios
6 Comentários leave one →
  1. Ricardo Guimarães permalink
    7 outubro 2011 9:33 am

    Parabéns, JB. O blog de viagem está execelente.
    Adorei as sugestões de restaurantes e de passeios em Budapeste. Não achava que esta cidade fosse tão intessante, deu vontade de visitá-la.

    • 21 outubro 2011 5:42 pm

      Valeu, Ricardo

      Apareça sempre, e se quiser alguma dica adicional é só escrever.

  2. 17 outubro 2011 9:07 pm

    Opa, enfim consegui colocar toooooda a leitura atrasada em dia 😀 Amei essa série de Budapeste, completíssima – até hotel charmoso por 30 euros vc achou! Os posts tão lindos, todos, e uma foto mais gostosa que a outra. Aliás, amei mesmo foi ver a cidade assim linda, branquinha, geladinha, que delícia! Só de lembrar o caloraaaaaço que eu passei lá no verão de 2006, já começo a suar 😆

    • 21 outubro 2011 5:40 pm

      Mari,

      Eu tento não ir no auge do calor, pois isso coincide com o auge da turistada também.
      Como vc está sempre viajando :-), não dá para escapar de pegar um calorzinho, não é mesmo?

  3. Jussara Damin permalink
    5 janeiro 2015 8:58 pm

    Olá JB, excelentes relatos de viagem. Estou no início de um planejamento de viagem à Europa. Ainda não escolhi as cidades, estou avaliando entre Hungria, Praga, Alemanha ou Áustria. Por isso, estou lendo seus posts sobre algumas cidades desses países e me chamou a atenção os preços bacanas que você consegue nos hotéis, super bem localizados. Sei que na baixa temporada os descontos são mais generosos, mas você tem algum método ou site de preferência? Agradeço principalmente por dividir suas experiências com todos nós.

    • 6 janeiro 2015 4:43 pm

      Oi Jussara,

      Normalmente faço minhas pesquisas e reservas no Booking ou AirBnb (quando pretendo ficar mais de 5 dias em uma cidade). A dica é, sempre que possível, reservar com antecedência.

      Abs,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: