Skip to content

Patagônia Express – Dia 5 – Ushuaia

5 março 2012

Glaciar Martial

Sem hora para acordar, quis aproveitar um pouco a cama super confortável e só me levantei às 8h30 para o fraco café da manhã. Andei por 4 quadras e tomei um ônibus até o Centro, descendo na porta do Centro de Informações Turísticas. O tempo estava um pouco feio, chuviscando até.

Depois de ler todos os folhetos, não havia nem sinal de chuva. Tentei tomar um transporte público até o Glaciar Martial, mas não houve quorum (só saiam com 3 pax, no mínimo) e tive que tomar um táxi até lá (30 pesos).

Aerosillas no Glaciar Martial

Pequeno córrego

Caminho até a geleira

Vista desde o Glaciar

Vista do Glaciar

Já havia feito este passeio em 2003, mas o tempo não estava tão bom e até havia nevado naquele dia. Sábia decisão: com tempo bom, a vista da cidade e do Canal de Beagle lá de cima, após 10 minutos de subida na aerosilla (50 pesos ida e volta) é deslumbrante.

O Glaciar Martial é pequeno, mas se destaca na paisagem da cidade. Para uma melhor visão, era necessário caminhar por quase uma hora, por uma trilha ascendente. Não havia condições físicas para tanto, por isso me contentei em ficar admirando de longe por vários minutos – a cada passada de nuvem, novos matizes se formavam e acho que poderia ficar mais uma hora sentado ali.

Tomei um táxi de volta até o centro e fui no restaurante Tante Sara, na rua principal San Martín antes do passeio marítimo que havia reservado de manhã. Comi um penne rigate com tomates cereja, rúcula e provolone. Uma delícia!

Yummy!

Mal deu tempo de ir até o quiosque da Tolkeyen Turismo para trocar o voucher e embarcar no catamarã Ushuaia Express.

Há inúmeras opções de passeios marítimos, com ou sem visitas a pinguineras (os primeiros custam 200 pesos e duram de 2 a 3 horas; os completos saem por 300 pesos e demoram 5h30!). Depois do fracasso de Punta Arenas, não tive dúvidas: pingüins na cabeça!

O catamarã era grande e bastante confortável. Passeamos pela Ilha dos cormoranes, um pássaro que, ao longe, se assemelha muito ao pingüim.

Ushuaia Express

Cormoranes

Ilha dos Cormoranes

Vista da Baía de Ushuaia

A segunda parada foi em outra ilhota, desta vez com uma colônia de leões marinhos.

Cormoranes outra vez...

... acompanhados dos leões marinhos.

Logo depois chegava a vez do Farol Les Eclaireurs, que domina por completo a ilhota onde se situa. Este não é o Farol do Fim do Mundo (que fica a cerca de 200 km à leste) que inspirou Julio Verne, mas é lindo mesmo assim.

Vista do farol

Mais um ângulo

Na longa navegação até a Isla Martillo, onde fica a colonia dos pinguins magallanicos, passamos pela vila de Puerto Williams, pertencente ao Chile e, de fato, o povoado mais austral do planeta.

O tempo continuava ensolarado o que garantiu boas fotos.

Puerto Williams

Pinguins ao sol

O amor é lindo!

Esta água está gelada!!

Copacabana no auge do verão

Exibicionistas!!

Vamos para a Antártica?

A navegação de volta foi feita em total silêncio, todos estavam entorpecidos e uma soneca era inevitável. Chegamos ao porto depois das 21h, vi, com tristeza, um dos barcos que fazem a navegação até a Antártida – meu projeto para 2014 – e fui procurar algo para comer.

Depois de 20 minutos de procura, só consegui encontrar um sanduíche de queijo e salame que me pareceu apetitoso. Comprei um refrigerante e fui de táxi até o hotel degustar o lanche.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. 8 março 2012 11:18 am

    Morro de saudades cada vez que entro aqui essa semana. Amo pinguins ❤ ❤ ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: