Skip to content

Disney com adolescentes – Introdução

20 abril 2012

No terceiro capítulo das viagens com adolescentes, fizemos um programa absolutamente chavão quando se trata de presente de 15 anos: fomos à Disneyworld, eu e Beatriz, acompanhados da elétrica Thais e sua tia Solange.

Como fechamos tudo com pouca antecedência, tivemos que nos contentar em voar com a US Airways, que cobrava 500 dólares por passagem a menos do que a segunda colocada e ainda tinha a vantagem de ter seu hub em Charlotte, um aeroporto pequeno e sem maiores burocracias, se comparado a Miami.

Na verdade, tirando a aeronave antiga, sem opções de entretenimento e as antipáticas aeromúmias americanas, até que não foi tão ruim.

Não iríamos alugar carro, portanto a programação teve que ser dividida em duas etapas: na primeira, exploraríamos o complexo Disney por 5 dias, nos hospedando em um dos hotéis do parque. A segunda etapa começaria com a mudança para a área da International Drive visando os parques da Universal e as obrigatórias compras nos outlets que atraem turbas de brasileiros para aquela região.

O clima em fevereiro tende a ser um pouco mais ameno, portanto, deixamos de lado qualquer intenção de curtir os parques aquáticos. A opção de Busch Gardens também ficou de fora, já que não teríamos carro.

Para a etapa “Mickey Mouse”, escolhemos o All Star Music Resort, uma das opções mais em conta dentro do complexo Disney – conseguimos um quarto duplo por pouco mais de 70 dólares a diária.

O hotel é enorme e estava lotado (ou, pelo menos, parecia). O café da manhã não está incluido na diária, como é de praxe por aqui, e era em esquema self service, com vários quiosques temáticos (tinha o de panquecas, o dos burgers, o de pizza etc). O único problema era a fila de adolescentes bagunceiros e famílias com vários bebês que faziam do local uma versão barulhenta do inferno!!!

Ala Rock do All Star Music Resort

A star is born

A estratégia adotada para a viagem funcionou, apesar da primeira parte ter sido mais difícil aturar. A sensação de estar aprisionado num mundo de faz de conta, com comida horrível e lojas fantásticas repletas de coisas que você absolutamente não precisa, é um pouco angustiante.

Por outro lado, as vantagens de se ficar em um hotel na Disney são muitas: o transporte é gratuito para os parques e para Downtown Disney, os deslocamentos são curtos, você pode aproveitar as “Extra Magic Hours”, período em que os parques ficam abertos fora do horário normal, somente para os hóspedes Disney (coisa que não conseguimos fazer em dia nenhum) e você ainda ganha totalmente “di grátis” o traslado aeroporto/hotel/aeroporto.

Tirando o episódio em que deixei a câmera cair no Animal Kingdom e ela parou de funcionar, posso dizer que a viagem foi divertidíssima e as meninas aproveitaram bastante.

A seguir, vou tentar fazer um apanhado dos parques e suas principais atrações e/ou roubadas, tanto pela ótica das meninas quanto pela minha (afinal eu fui o único que andou em todas as montanhas-russas). No final, faço um apanhado das inúmeras dicas para ajudar no planejamento.

Volto já!

Passeio pelo Magic Kingdom

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: