Skip to content

Disney com adolescentes – Animal Kingdom

15 maio 2012

Entrada do parque

O mais novo parque da Disney era o único que ninguém conhecia e foi uma grata surpresa.

Dividido em 7 áreas temáticas, a minha sugestão é seguir direto para a Asia ou Africa, onde ficam os brinquedos mais interessantes e concorridos.

Danças na Africa

Vista da Asia

Mais Asia

Na Asia, o passeio no Kali River Rapids teve que ser cancelado, pois o brinquedo estava em manutenção. Fomos direto para a Expedition Everest (tipo 3), uma montanha russa parcialmente no escuro e que possui um trecho percorrido de costas. Apesar disto, perde pontos no quesito radicalidade e fica com uma média 8.

Expedition Everest

Ainda no continente asiático, o  Maharajah Jungle Trek é outra atração interessante, onde se pode ver alguns animais em cativeiro. Por este motivo, vive sempre apinhado.

A Africa possui o Kilimanjaro Safari, onde um carro nos leva a conhecer os habitantes de quatro patas (alguns com duas) do local. Este passeio é bem divertido e merece repeteco: como fizemos logo na parte da manhã e repetimos à tarde, pudemos ver a diferença na atividade dos animais entre um período e outro.

Safari

Vamos para o Safari?

Safari

Um dos habitantes do parque

Ovos de avestruz

Rei Leão

Passeio

Que fome…

Oryx

Também tem o Pangani Forest Exploration Trail, mais uma chance para ver animais em jaulas e aquários, desta vez com uma mensagem ecológica anexada. O trenzinho termina no Rafiki’s Planet Watch onde há 3 áreas distintas mostrando como é o tratamento de alguns animais do parque, além de projetos de conservação da Walt Disney Company.

Entrada da atração

O fatídico trem onde minha câmera caiu

Golden Lion tamarin, ou nosso mico-leão dourado

Aquário no Pangani

A Discovery Island possui a bonita e hiperfalsa Arvore da Vida, mas acaba sendo mesmo apenas um local de passagem entre as outras áreas temáticas.

Árvore da Vida

Esqueça o Camp Minnie-Mickey se você estiver com adolescentes e vá para o DinoLand USA que, apesar de possuir atrações mais infantis, também tem apelo a maiores de 12 anos. Como, por exemplo, no Dinosaur, uma aventura tipo 1 em um parque de dinosauros.

Para relaxar, fomos no Primeval Twirl, uma montanha russa bobinha, com quedas de no máximo 1 metro e meio, mas Thais achou aquilo hiperradical e quase “pediu para sair”. Foi o brinquedo mais divertido do dia, pelo menos para mim e Beatriz.

Cuidado!!! Brinquedo radical…

Fomos obrigados a enfrentar o Triceratop Spin, brinquedo que parece assustador pelo nome, mas não passa de uma variante pré-histórica do famoso aviãozinho que sobe e desce enquanto giramos em círculos. Pelo menos serviu para distrair Thais enquanto pensávamos que outra atração poderia nos dar tantos motivos para risadas…

Retorno à infância

Acabamos voltando no DinoSaur – acho que elas gostaram muito!

DinoLand

Resumo: o parque ficou acima de nossas expectativas.Mesmo com alguns brinquedos parados para manutenção, havia atrações suficientes para manter a turma animada.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: