Skip to content

UAE – Chegada a Dubai e ida a Abu Dhabi

23 setembro 2014
Abu Dhabi

Abu Dhabi

Os EAU (ou , em inglês, UAE – United Arab Emirates) é um país formado por 7 emirados, cada um detendo sua autonomia, a saber: Abu Dhabi (o maior de todos, com uma área equivalente a quase 87% do país, e contendo também a capital), Dubai (a maior cidade, com pouco mais de 2 milhões de habitantes), Sharjah, Ajman, Umm al-Quwain, Ras al-Khaimah e Fujairah. Ocupa uma faixa de 650 km da costa do Golfo Pérsico e tem o petróleo como sua principal fonte de renda.

Mapa dos UAE

Mapa dos UAE

A primeira impressão que se tem ao chegar ao aeroporto de Dubai é de encanto: moderno, funcional e amplo, a passagem pela Imigração demorou exatos e incríveis 7 minutos. O visto já havia sido tirado através do site da Emirates (paguei US$ 69 para um período de 96 horas de estadia nos Emirados) e, no comecinho da manhã, quase não havia gente na fila. Mesmo assim, foi um tempo recorde!

Em poucos minutos estávamos no táxi que rumou em direção ao nosso hotel na Sheikh Zayed Road e pela primeira vez pudemos ter a dimensão concreta daquilo que vimos pelo alto, ainda no avião: Dubai impressiona com seus arranha-céus, suas largas avenidas, a limpeza e principalmente, pelo calor intenso já no começo de manhã!

Skyline de Dubai

Skyline de Dubai visto do hotel

Somando tudo, fizemos o percurso entre o desembarque e a porta de nosso hotel em menos de meia hora, mas vimos que este tempo curto só foi possível porque chegamos ao país antes das 6h da manhã, com trânsito tranquilo.

Deixamos nossas malas no Sheraton e, depois de um banho reanimador no moderno vestiário da sala de ginástica do 43º. andar, zarpamos para Abu Dhabi, onde iríamos nos encontrar com a querida Mari Campos, que, coincidentemente, estava de passagem rumo à Oceania.

O hotel é muito bom, dentro do padrão Sheraton, e tem como principal atrativo a linda vista da avenida, do terraço no 44º. andar, onde ficam a piscina e o bar.

fdhgdfshg

fourpointssheikhzayedroad.com

Aqui, como em outros lugares do mundo, o negócio é pechinchar e foi o que fizemos para conseguir um táxi até lá. Dos 300 AED, conseguimos baixar para 220 AED, ou o equivalente a R$ 150 no câmbio da época).

Os 170km que separam as duas cidades são percorridos em um retão asfaltado, com um trânsito bastante intenso e paisagens sem muito interesse, basicamente um deserto pontilhado aqui e ali com algumas construções esparsas. No ritmo de crescimento da cidades por aqui, prevejo que em alguns anos esta área esteja toda ocupada.

Aproveitamos para cochilar um pouco, reflexo da noite mal dormida no avião.

Rodovia para Abu Dhabi

Rodovia para Abu Dhabi

O táxi nos deixou no hotel onde ele estava hospedada e nossa primeira parada foi no Starbucks para um pequeno café da manhã – suco e croissant.

De lá, rumamos para a Mesquita Sheikh Zayed Bin Sultan Al Nahyan, um dos principais pontos turísticos de Abu Dhabi.

DSC01223

DSC01229

A mesquita, inaugurada em 2007 após mais de 10 anos de construção, é uma das maiores do mundo, comportando cerca de 40 mil fiéis. Sheikh Zayed Bin Sultan Al Nahyan, que foi presidente dos UAE e cujo corpo se encontra no local, imaginou uma Mesquita com dimensões gigantescas para servir como prova, ao mesmo tempo, da tradição e da modernidade do país.

Há um dress code severo a ser seguido (veja foto ao lado), principalmente pelas mulheres, que devem cobrir a cabeça com um lenço e evitar usar roupas curtas e/ou muito decotadas. Caso você venha despreparada, não se preocupe: há o empréstimo de abayas (roupa típica árabe para mulheres) no local.

DSC01227

A entrada é gratuita, assim como as visitas guiadas de 45 minutos que acontecem em inglês e árabe. Com exceção das sextas, quando a visitação se dá apenas a partir das 17h, nos outros dias o horário de visitas é das 9h até às 22h (com as visitas guiadas acontecendo às 10h, 11h e 17h – aos sábados há horários adicionais às 14h e 19h).

DSC01254

 DSC01250

Minha visita foi feita de dia e o calor já estava beirando o insuportável. Acredito que a visita no final da tarde teria sido mais proveitosa, sendo um pouco menos escaldante e mais propício para tirar belas fotos e para admirar a iluminação noturna.

O carpete no salão principal de orações é considerado o maior do mundo, com 5600 metros quadrados, e levou 2 anos para ser concluído utilizando-se cerca de 1300 artesãos iranianos, com lã vinda do Irã e da Nova Zelândia.

Os candelabros são outro ponto notável dentro do salão principal: contendo milhões de cristais Swarovski, impressionam pela magnitude (um deles é o segundo maior dentro de uma mesquita, com 10 metros de diâmetro e 15m de altura!), embora sejam de gosto duvidoso.

DSC01243DSC01237

 

DSC01234

DSC01240DSC01241
DSC01242 DSC01244
DSC01252 DSC01248

Digna de nota também é a iluminação noturna da Mesquita: elaborada de forma a refletir as fases da lua, foi criada pelos arquitetos Speirs & Major.

As 96 colunas no salão principal são feitas de mármore e madrepérola. As quase 1000 colunas no exterior também são adornadas com pedras preciosas e folheadas a ouro.

DSC01251

O relógio abaixo, um dos nove existentes na Mesquita, foi feito em mármore e peças em ouro, e apresenta os horários sagrados para a reza dos muçulmanos (“Salat“), meticulosamente programado para adaptar o horário de cada reza conforme a época do ano em que se está:

1ª Oração: Fajr – Oração da Alvorada

2ª Oração: Dhuhr – Oração de Meio Dia

3ª Oração: Asr – Oração da Tarde

4ª Oração: Maghrib – Oração do Crepúsculo

5ª Oração: Isha – Oração do Início da Noite

DSC01245

Finalizada a visita, entramos em outro táxi que nos levou até a Heritage Village, uma tentativa mal sucedida de representar uma vila árabe de antigamente, mas não vimos muito o que fazer por lá não – e, a esta hora o calor não permitia muitos deslocamentos ao ar livre.

Tiramos algumas fotos da bela vista da cidade, do outro lado da baía e entramos em um restaurante com ar condicionado potente para beber…água!

DSC01257

DSC01262

DSC01258

DSC01264

Ainda tentamos ver o que tinha de tão especial a Corniche (calçadão) da cidade, mas achamos que passear sob o sol escaldante do início da tarde, sem proteção nem sombra era um pouco demais.

Voltamos para o hotel, fizemos uma boquinha e tomamos um táxi para Dubai, já que tínhamos compromisso com hora marcada: a visita ao Burj Khalifa.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. 30 setembro 2014 3:45 pm

    Fala JB. Como sempre mantendo o blog em alto nível…curto muito as suas andanças.

    Estou planejando viajar para a África do Sul, e suas dicas serão valiosíssimas.

    Grande abraço

    Felipe

    • 4 outubro 2014 3:45 pm

      Valeu Aspirinha,

      Vc vai adorar a África do Sul! Se precisar de mais dicas, só pedir, ok?
      Abraços,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: