Pular para o conteúdo

África do Sul 2019 – Port Elizabeth

13 julho 2019


Port Elizabeth tem cara e alma de cidade do interior, apesar de possuir quase um milhão de habitantes em sua área metropolitana, conhecida por Nelson Mandela Bay Area. Fundada em 1820 por colonos britânicos, é a cidade “grande” mais ao sul do continente africano e um dos principais portos do país.

Possui praias indicadas para a prática do surf além de parques nacionais como o Cape Recife Nature Reserve. Também recebe grande número de estudantes universitários em sete campi da Nelson Mandela University espalhados pela cidade.

A melhor região para hospedagem é Summerstrand, onde alugamos uma casa pelo Airbnb em um condomínio fechado com vista para o mar e o porto da cidade.

 

Suas principais atrações turísticas ficam no centro da cidade e estão relacionadas à sua fundação, como o Fort Frederik.

Criado em 1799 para impedir a invasão dos franceses durante as guerras napoleônicas, o forte oferece uma privilegiada vista da cidade e tem seu nome em homenagem ao comandante do exército britânico na região.

 

O forte fica aberto da alvorada ao por do sol e a entrada é gratuita.

Ali perto fica a Donkin Reserve, que possui uma vista ainda mais bonita e, para mim, é a atração mais interessante da cidade.

Possui uma pirâmide de 10 metros de altura construída por Sir Rufane Donkin, primeiro governador da região, em homenagem à sua esposa Elizabeth (daí o nome da cidade).

Ao seu lado fica um farol construído em 1861 onde se encontra o escritório central de turismo da cidade (aberto das 8h às 16h30) onde pode ser obtido o acesso ao farol.

O local possui uma série de obras artísticas como uma instalação em tributo a Nelson Mandela…

… e uma estátua de uma mulher em um pedestal segurando uma cadeira feita pelo artista Anton Momberg, representando as mulheres da região.

O destaque fica por conta do lindo mosaico construído ao lado da pirâmide e que representa a herança multicultural da cidade, além de mostrar a abundante fauna e flora da região.

 

Todas as obras acima fazem parte da chamada Rota 67, que começa no centro da cidade subindo até a Donkin Reserve.

O conjunto contem 67 obras de diversos artistas, dedicadas à libertação do povo sul-africano, incluindo 67 degraus em mosaico, que levam até o topo da colina onde fica a Donkin Reserve.

Ali fica um mastro de 68 metros de altura com a maior bandeira sul-africana, do tamanho de uma quadra de tênis. Essa bandeira é hasteada e recolhida todos os dias pela guarda de Prince Albert.

Pelo foto ao lado dá para ver que chegamos depois da bandeira ter sido recolhida…

Outra construção de interesse no local é o Hotel Edward, que foi inaugurado em 1904 como uma residência para médicos plantonistas, sendo convertido em hotel em 1911. Recentemente foi comprado por uma família dos Emirados Árabes Unidos, restaurado e reaberto em 2016 com o nome de King Edward Hotel.

A Donkin Reserve também faz parte da Donkin Heritage Trail que percorre 51 locais ligados à história da fundação da cidade. Se você se interessar, sugiro que faça esse percurso e/ou a Rota 67 com um guia, já que não é recomendável andar sozinho pelo centro da cidade.

Outro ótimo lugar para apreciar o por do sol é o pier que fica em Summerstrand.

À noite decidimos ir até o Boardwalk Complex, que abriga um hotel 5 estrelas além de um cassino, shopping e oito restaurantes de cozinha variada.

O local tem uma aura meio americana e me senti em Orlando em um dos complexos Disney, com direito até um lago e uma fonte luminosa com águas dançantes.

Sendo um dos pontos mais visitados na cidade, oferece campo de golfe, quadra de boliche, pista de kart, cinemas e até um parque de diversões.

Jantamos no Red Rock Spur, uma rede sul-africana de restaurantes com ênfase em carnes. Os pratos são muito bem servidos, com preço bem camarada.

Se você tiver tempo para  aproveitar com mais calma as atrações da cidade e principalmente da região, a melhor opção é comprar o Nelson Mandela Bay tourism pass que dá direito a vários passeios nas redondezas.

O passe pode ser comprado pela Internet e retirado no Aeroporto de Port Elizabeth, custando 400 rands (válido por um dia), 475 rands (dois dias) ou 575 rands (três dias) e inclui inúmeras atrações gratuitas ou com desconto.

Veja os preços e o  catálogo completo de atrações neste link.

No próximo post vou detalhar o que conseguimos fazer nos dois dias do passe.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: